sábado, 25 de outubro de 2008

Mais uma vez AMOR . .

Eu só falo sobre amor, né? Até quando tento falar de outro assunto acabo voltando para o amor. O que é que tem, né? Deixe-me falar sobre o que eu mais gosto de falar. (hehe) Como diz uma música do Cazuza: “E é só o amor que eu respiro, baby!”.
Bom, estávamos eu e Juh conversando no MSN e eu contei mais uma das minhas desventuras amorosas a ela. Eu sempre conto. (huahuahua) No meu subnick estava algo próximo de: “As pessoas amam de muitas maneiras diferentes; a maneira pouco importa, o importante é que saibam amar.” Tal frase gerou um assunto e discutimos um pouco a respeito.
Como você ama? Você demonstra? Você guarda por não conseguir expressar? Ou você simplesmente não ama?
É . . tem gente que nunca amou, como conseguem estar vivos até hoje sem amor eu não sei. Amor é vida.
Ahhhh, o A-MOR. Palavrinha tão pequena e tão expressiva, sentimento que apavora, que assusta e irradia felicidade! Dizem que do amor ao ódio é só um passo, uma linha tênue os divide. Ah . . . você sabe o que é o amor, vamos então falar das maneiras diferentes de amar.
Se amo para que me amem, é interesse e não amor. Se amo porque me amam é obrigação, não é amor. O amor tem que vir de dentro para fora e não de fora para dentro, tem que ser espontâneo, ninguém o controla, por mais que tente. Quem nunca tentou esquecer um amor à força? Difícil, não é? Me arrisco a dizer que é impossível, afinal já disseram que “...Pro amores impossíveis...tempo”. Só o tempo consegue levar isso.
Certas pessoas não conseguem dizer o quanto gostam de alguém, mas isso não quer dizer que eles não amem ou, não saibam amar; apenas não dizem ou não demonstram, talvez por insegurança, talvez por medo, talvez por uma experiência não bem-sucedida, talvez . . talvez, são tantos “talvez” que essa pessoa vê em sua frente que lhe ofuscam a vista para a maravilhosa arte de amar. Talvez ele ame mais que aquele que sopra aos quatro cantos seu amor, vai saber?!
As maneiras de se demonstrar o amor também são diferentes. Quem nunca disse “Meu pai não me ama.” quando ficou em casa enquanto toda a galera saía junta para curtir? É o jeito dele de dizer “Eu te amo e por isso quero você aqui comigo.”. Ou quando você está prestes a fazer a maior burrada da sua vida e um amigo abre seus olhos; você acha que ele está errado, esbraveja, fica furioso, mas uns dias depois vê que ele tinha razão. Ele não foi ‘duro’ com você, foi apenas um amigo verdadeiro, porque falar palavras bonitas e incentivar é facílimo, mas abrir os olhos de um amigo sabendo que ele não vai gostar do que vai ouvir é um ato de muita coragem e, só um amigo de verdade sabe fazê-lo.
Sabe quando você gosta de uma menina, quer ficar com ela, ela tem vontade, mas sabe que você realmente gosta dela, aí ela não fica? Você não entende, não é? O “problema” é esse GOSTAR, ele que estraga tudo. Um relacionamento que poderia evoluir e se tornar especial é impedido de sequer começar, tudo por uma diferença na intensidade do sentimento, mas esquecem que amores de verdade crescem com o tempo, não é apenas PAIXÃO, e sim AMOR. Amor esse que pode começar com uma paixão arrebatadora, uma simples atração física ou mesmo por uma curtição.
Resumindo: existe amor em tudo (ou em quase tudo), cada um ama a seu jeito e de toda forma o amor é válido. Segundo Machado de Assis, as pessoas amam de maneiras diversas, mas isso não importa, o importante é que saibam amar. E, como diz numa música do Lulu Santos: “a gente vai à luta e reconhece a dor, consideramos justa toda forma de amor”.
Qual o seu jeito de amar?
- Vicmendon -

2 comentários:

juliana disse...

não preciso nem dizer que eu ADOREI o texto né!? hahahahha

beeeijo Victor!

Lukas Loiro disse...

Muito legal o texto man...

hehe

=))