sábado, 14 de agosto de 2010

Analisando as pessoas: 10 dicas pra pegar na mentira

No momento que você mente o seu cérebro trabalha igual louco pra tentar encobrir o que seria verdade, contando o que não é. A razão disso é que ao invés de simplesmente acessar sua memória e trazer os fatos para o seu discurso ele precisa da ajuda de várias áreas não ligadas a linguagem ou memória para montar, treinar, aceitar, produzir, enfeitar e ainda definir o que o resto do corpo tem de fazer em relação a isso. Ufa! Isso é trabalho que não acaba mais!

Pois é justamente esse desconforto interno que tentamos suprimir quando mentimos (uns melhor outros nem tanto). Mas o que acaba acontecendo é que isso causa um stress e essa pressão tem de sair por algum lugar e é ai que surgem as pistas.

Então, quer saber se o seu amigo, seu filho, seu pai ou a sua namorada está mentindo? Abaixo tem 10 dicas de como descobrir através apenas da observação. Quem já viu Lie To Me (seriado da fox), já deve estar acostumado..

1. Evitar o contato visual.

Mentiroso que é mentiroso não gosta de olhar nos olhos. O ditado que diz “os olhos são as janelas da alma” está certo. Se você perguntar algo corriqueiro como “onde você estava ontem a noite?” e a resposta vier com uma fuga de olhos para qualquer lado. Xiiii…

Nível avançado: Muitas vezes os mentirosos treinados conseguem manter o olhar na nossa direção e acham que estão protegidos dessa forma. Entretanto são traidos por um piscar de olhos mais demorado no momento da mentira. Caso você perceba isso repita a pergunta e confirme se acontece de novo.

2. Usar termos de reforço como “para ser sincero” “ honestamente” ou “pra falar a verdade”

O que você acharia se um vendedor de carros lhe dissesse: “E além de tudo isso que eu lhe mostrei o carro ainda vem com marcha a ré! E anda para trás!”? Desnecessário né? Aposto que você pensaria porquê o vendedor ressaltou justamente isso.

Numa mentira é assim também. Nós falamos a verdade “de fábrica”, fomos feitos assim. Não precisamos avisar que estamos sendo honestos, sinceros ou dizer que falamos a verdade. Isso já é subentendido. O que ocorre é que muitas vezes os desavisados tentam maquiar uma ou outra “mentirinha” com um singelo “pra ser sincero”. Tsc tsc tsc Sempre que ouvir isso fique de orelha em pé.

3. Gestos de suporte ou de auto-pacificação

Nível avançado: Quando falamos, gesticulamos por uma série de razões. Nossos gestos podem ser:

- Ilustrativos: como o próprio nome já diz nós ilustramos aquilo que falamos. Desenhamos formas, apontamos direções, definimos ritmos com as mãos, eticetera e tal.

- Repetitivos ou de fixação: Quando por exemplo contamos de um a cinco em voz alta e mostramos os números com as mãos. Servem para reforçar a mensagem no instante em que ela é emitida.

- De suporte ou auto-pacificação: Normalmente são gestos sem um objetivo. É quando a pessoa passa uma mão sobre a outra em uma reunião, quando acaricia um pedaço da própria roupa, quando dedilha na ponta do polegar, fecha as mãos, coça a orelha, passa a mão na nuca, etc etc etc. É quando a pessoa se toca. Este tipo de gesto é involuntário, quase que um auto-carinho, um “vai dar tudo certo, acalme-se” e é muito comum um mentiroso se utilizar de gestos assim durante sua mentira.

O que um mentiroso quer é que aquele momento acabe o mais rápido possível, e para se acalmar ele se toca reproduzindo o que uma vez já foi um afago ou um carinho. Se, ao se explicar, a pessoa executa muitos gestos de auto-pacificação, ou ela tá mentindo, ou você tá deixando ela nervosa. (Eu sei que é doido, mas a gente é doido assim, fazer o quê)

4. Detalhes demais em respostas

Essa é simples. Quem fala a verdade é menos ligado em detalhes do que quem mente. O mentiroso na tentativa de ser verdadeiro racionaliza seu discurso e começa a dar atenção a coisas que um verdadeiro jamais daria.

Detalhes demais, verdade de menos. Lembre-se disso.

5. O importante é o antes e o depois. Esqueça o momento da mentira.

No momento da mentira, na exata hora em que a pessoa está falsificando suas palavras, ela estará preparada para isso. E é justamente nesse momento que prestamos mais atenção. Esqueça, ele sabe disso e se preparou para a ocasião. Antes de mentir ele estará se preparando, depois estará aliviado achando que se safou. É num destes dois momentos que suas chances de pegar algo são maiores.

Pra falar a verdade (lembra da pista nº2) pesquisadores descobriram uma microexpressão (igual no Lie to Me) facial que sempre é feita após uma mentira e que é um sinal de alívio do mentiroso.

6. Sinais de desconforto

Essa é complementar a todo o resto. Se você perceber que a pessoa está desconfortável com alguma coisa, investigue. Ao contrário do resto das pistas essa é muito mais uma sensação que você terá, um insight, uma intuição. Aceite-a e vá atrás da resposta. (sem acusar hein!)

7. Alteração vocal

Essa é provavelmente a mais fácil de todas. O enrijecimento das cordas vocais causado pelo stress da mentira faz a voz da pessoa ficar mais fina. É muito, muito, muito nítido. Muitas vezes o corpo está perfeito na mentira, mas a voz.. ah meu querido, a voz não perdoa.

8. Madame tussaud – Boneco de cera também mente

O que nos impede de sermos naturais é a intenção de sermos o mais natural o possível. Ou seja, quando o mentiroso tenta parecer natural é que ele se trai.

Ao mentir, a pessoa quer encobrir possíveis movimentos que delatem sua peripécia. Sem perceber ela vai virando um boneco de cera duro, sem vida, sem naturalidade. Depois da mentira tudo volta ao normal (lembra da pista nº5)

9. Os olhos (novamente!)

Quis repetir os olhos pois eles são muito importantes na interação de um ser humano. As pistas de percepção visual são um bom recurso para compor o conjuntos de pistas em que nos baseamos para determinar a veracidade de uma afirmação. Dependendo da direção dos olhos de uma pessoa isso significa que ela está acessando a memória, a imaginação ou tomando consciência de si.


  • Olhar acima e à esquerda: imagens construídas visualmente. Se alguém te diz "imagine um cão verde", normalmente você olhará nessa direção.
  • Olhar acima e à direita: imagens recordadas visualmente. Lembra de seu primeiro carro, seu primeiro brinquedo?
  • Olhar à esquerda: criadas pelo ouvido. Imagine o som de um cristal caindo no chão? (ou algo mais singelo, que não conheça).
  • Olhar à direita: lembradas com o ouvido. Lembra do som que o seu PC faz quando liga?
  • Olhar abaixo à esquerda: ligado aos sentimentos. Recorda o cheiro do campo na primavera?
  • Olhar abaixo à direita: diálogo interno, você está pensando consigo mesmo.
  • Olhar abaixo: vergonha. Alguma você andou aprontando.

10. Você sabia

Essa eu acho a mais divertida e, também, simples de fazer.

Se você já sabe que vai questionar uma pessoa (sua namorada, seu chefe, seu colega de trabalho) sobre algo que pode ser uma mentira, um pouco antes de entrar no assunto (alguns minutos, algumas horas, não mais que um dia) comente uma reportagem que você leu e achou interessante, por exemplo:

- Nossa! você leu o Blog do Mussarela Olha que legal cientistas italianos descobriram que as pessoas puxam o canto da boca quando mentem…

Se a pessoa tentar disfarçar a boca, pimba! Tá lá a mentira. Você deu algo para o mentiroso se preocupar e ficar atento enquanto mente.

MAS, e sempre tem um MAS… ela pode apenas estar nervosa por achar que se ela puxar o canto da boca sem querer você vai achar que é mentira, e aí já viu…

Portanto, por mais raiva ou sede de verdade que você esteja, nunca, vou repetir, NUNCA deixe seu interlocutor saber que você está tentando pegá-lo na mentira.

Li no Gerente Bem Informado e adicionei umas coisas.

2 comentários:

Londoriano disse...

"Pra ser sincero", achei ótimo o texto XD

sem descrição disse...

Boa . Curti o " Blog do Mussarela" ShausAHUSahushauSHU